Beatriz Milhazes, 1960, vive e trabalha no Rio de Janeiro.

É formada em Comunicação Social. Ingressou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage em 1980, onde estudou até 1983. Como professora de pintura e coordenadora de projetos educacionais, lecionou até 1996.

Milhazes é considerada uma das mais importantes artistas brasileiras. Consolidou sua carreira no circuito nacional e internacional de Artes Plásticas com participação em Bienais de Veneza (2003), São Paulo (1998 e 2004) e Shangai (2006).

Exposições com um panorama atual de seu trabalho em museus e instituições prestigiosas, como na Pinacoteca do Estado de São Paulo (2008); Fondation Cartier, Paris (2009); Fondation Beyeler, Basel (2011); Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (2012); no Museo de Arte Latinoamericano (Malba), Buenos Aires (2012); Paço Imperial, Rio de Janeiro (2013), Pérez Art Museum, Miami, USA (2014/2015), White Cube Gallery, Londres (2018) e MASP – Museu de Arte de São Paulo (2020).

É representada pelas galerias de arte Fortes D’Aloia e Gabriel(FDAG), Max Hetzler Gallery, White Cube Gallery e Pace Gallery.

Suas obras integram as coleções do Museum of Art, New York; MoMA – The Museum of Modern Art, New York; Solomon R. Guggenhein Museum, New York; SFMoMA – San Francisco Museum of Modern Art, San Francisco; MNBA – Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro; Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo; Instituto Itaú Cultural, São Paulo; Fundação Edson Queiroz, Fortaleza; Museum of Contemporary Art, Tokyo Art Museum, Tokyo; 21st Century Museum of Contemporary Art, Kanazawa; Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madrid; Fondation Beyeler, Basel; Centre Georges Pompidou, Paris; Tate Modern, Londres.

This post is also available in: English